quinta-feira, 13 de março de 2014

Brasil: Menor mata ex- namorada, filma execução e coloca imagens na internet

Um dia antes de completar 18 anos, um jovem do Distrito Federal matou a ex-namorada, de 14 anos, com um tiro no rosto. O motivo seria uma desconfiança de que a menina estaria envolvida com pessoas de gangues rivais da região onde morava.

Segundo a Polícia Civil, o adolescente filmou a execução e divulgou o vídeo entre seus amigos pelo aplicativo de troca de mensagens WhatsApp.
O rapaz, que não pode ter sua identidade revelada por ser menor de idade no dia do crime. Fato ocorrido  na tarde do domingo (09). O acusado foi preso na manhã desta quarta-feira, 12, ainda com 17 anos,
e, por isso, responderá pelo crime de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Ele cumprirá medidas socioeducativas.
Em outro vídeo no WhatsApp, o rapaz confessa ter assassinado Yorrally Ferreira. Ele conta que não queria mais nada com a menina e por isso ela estaria “botando pressão” em jovens de gangues rivais. “Vários já vieram falar comigo de que ela estava falando que eu tava (sic) ameaçando eles, jogando conversa fora”, diz no vídeo.
Frieza. Sem demonstrar nenhuma emoção, o adolescente conta que atraiu a menina para o local do crime ao chamá-la para fumar maconha. Lá, ele a pressionou para que contasse o que estaria falando para os supostos rivais. Yorrally implorou para não ser morta. Em seguida, o rapaz deu um tiro no rosto da garota, que morreu na hora.
A mãe de Yorrally, Rosemari Dias da Silva, contou que, quando sentiu o sumiço da filha, usou o GPS do celular para tentar encontrá-la. O aparelho indicou que a menina havia ido à casa do ex-namorado. A mãe foi até lá e conversou com o garoto, mas ele negou que havia visto a adolescente. No entanto, Rosemari disse que quando a polícia a procurou para informá-la sobre a morte da filha, ela concluiu quem era o assassino. Yorraly foi enterrada na manhã de ontem. A mãe passou mal durante o velório e desmaiou no momento do enterro.
O assassino ficará internado por no máximo três anos. Se tivesse mais de 18 anos, poderia ser condenado pelo crime de homicídio qualificado e poderia pegar até 30 anos de prisão. Ele está preso em uma unidade de internação para menores, conhecido como Caje, em Brasília.

Fonte: www.otempo.com.br
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário